sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

MOVIMENTO NACIONAL PELA REGULAMENTAÇÃO DAS GMs: Relatório Final do Movimento Nacional Pela Regulamenteção das Guardas Municipais.

RELATÓRIO FINAL

Considerando o resultado das Comissões e das Plenárias.

Considerando que urge uma definição a cerca de questões críticas relativas às Guardas Municipais.

Considerando que o PL 1332/03 de autoria do Deputado Arnaldo Faria de Sá, que segue na forma do Substitutivo é o que o Movimento entende como a base das discussões.

É o relatório final do MNRG. Desde o ano de 2002 a categoria já se pronunciava no sentido se regulamentar o parágrafo 8º do artigo 144 da constituição, neste sentido o Deputado Federal Nelo Rodolfo atendeu a esses anseios, que se concretizaram em uma minuta, encaminhando à Câmara dos Deputados na forma do PL 7144/02, este foi o embrião da regulamentação, que teve parecer contrário do relator Deputado Federal Cabo PM Júlio PMDB/MG. Em 2003 o Deputado Arnaldo Faria de Sá apresentava um novo PL, 1332/03, que mantinha as necessidades iniciais reivindicadas pela categoria.

O PL 1332/03, apesar de estar na forma do substitutivo, ainda é um projeto, uma vontade, um sonho que em 2010 reavivou as esperanças dos profissionais das Guardas Municipais de dias melhores, quando do anúncio feito pelo governo federal de um grupo de trabalho com a missão de propor uma regulamentação da atividade, porém a forma de recrutamento dos membros que compunham o GT não ficou clara, quando não ensejava questionamentos e destes questionamentos surgiu o MNRGM. Com muitas dificuldades foram realizadas plenárias em pelo menos 4 estados que existem Guardas Municipais e destes eventos financiados única e exclusivamente com verbas dos próprios integrantes do Movimento, ressurge os anseios da categoria nos mesmos moldes de 2002. Então entendemos que o PL1332/03 deva sofrer novas alterações, visando, principalmente adequar questões como o uso de armas de fogo, cuja legislação especifica foi alterada em 2003.


Capítulo I - DAS GUARDAS MUNICIPAIS


Art. 1º Aos Municípios compete no âmbito de seu território zelar pela incolumidade das pessoas e do patrimônio e podem para isso constituir Guarda Municipal com a destinação prevista no artigo 2º.

Art.-2º Em cumprimento à sua destinação constitucional e legal, às Guardas Municipais, órgãos de segurança pública de natureza civil, uniformizados, armados e hierarquizados, compete, no âmbito do território do Município onde têm sede, executar com exclusividade missões preventivas e repressivas, se necessário, visando a:

I – prevenir, proibir, inibir e restringir ações que atentem contra os bens, serviços e instalações municipais;

II educar, orientar, fiscalizar, controlar e policiar o trânsito nas vias e logradouros municipais como agente municipal de trânsitos previsto no artigo 280 parágrafo 4º da Lei 9.053de 23 de setembro1997.

III – policiar e proteger o patrimônio ecológico, cultural, arquitetônico e ambiental, adotando medidas preventivas e repressivas;

IV – exercer o poder de polícia com o objetivo de proteger a segurança individual e coletiva;

V – colaborar com os demais órgãos de segurança pública constitucionalmente instituídos, particularmente os estaduais, no provimento da segurança pública do Município, visando a prevenir e reprimir atividades que violem as normas sanitárias, de segurança, moralidade e outras que impliquem no exercício do poder de polícia pela Administração Municipal;

VI – executar atividades de corpos de bombeiros e de defesa civil, complementarmente aos corpos de bombeiros militares

Parágrafo único. As Guardas Municipais, para o fiel cumprimento ao previsto neste artigo terão direito de acesso às redes de informações criminais, registro de pessoas e veículos tanto em nível federal como nos estados membros e poderão receber cooperação técnico-financeira do Estado e da União, através da celebração de convênios entre os Municípios e aqueles entes estatais, objetivando o pleno atendimento das necessidades municipais no que diz respeito às competências dos incisos deste artigo


Art. 3º Os Guardas Municipais, quando em serviço, apresentar-se-ão uniformizados e terão sua formação voltada para a segurança e apoio aos cidadãos, para a evolução social da comunidade, o respeito aos direitos humanos, a garantia aos direitos individuais e coletivos, o exercício da cidadania e a proteção das liberdades públicas.

Parágrafo único. O uniforme básico dos guardas municipais será, obrigatoriamente, na cor azul-marinho.

Art. 4º As Guardas Municipais são subordinadas aos respectivos Chefes do Poder Executivo Municipal.

§1º- As Guardas Municipais serão compostas por carreira única composta de 3 níveis, de execução, intermediário e de gerenciamento, sendo seu ingresso obrigatório por concurso público para cargo inicial do nível de execução.

§2º os cargos de comandante e de subcomandante, ou similar, quando de livre provimento deverão ser exercidos preferencialmente por integrante da própria carreira, ou Guarda Municipal de outro município, ativo ou inativo, detentor de diploma de nível superior, devidamente credenciado conforme o artigo17.

§3º Lei municipal definira as quantidades e formas de provimento dos cargos sem prejuízo do disposto neste artigo.

§4º O piso salarial dos Guardas Municipais não será inferior a 5% da referência de Prefeito Municipal da cidade a que pertença em conformidade com o parágrafo 5ª do artigo 39 da Constituição Federal.

Art. 5º As Guardas Municipais colaborarão com as autoridades que estejam atuando nos Municípios, especialmente, quando solicitadas, no que tange à proteção ao meio ambiente e ao bem-estar da criança e do adolescente.

Art. 6º Sendo solicitados para o atendimento de ocorrências emergenciais, ou deparando-se com elas, os guardas municipais deverão dar-lhes atendimento imediato.

§ 1º Caso o fato caracterize infração penal, os guardas municipais encaminharão os envolvidos diretamente à autoridade policial judiciária.

§ 2º Os guardas municipais deverão prender quem for encontrado em flagrante delito, apresentando-o à autoridade policial judiciária.

Art. 7º As Guardas Municipais poderão integrar as atividades policiais realizadas por outros órgãos no Município, quando planejadas conjuntamente.

Parágrafo único. Na realização dessas atividades, as Guardas Municipais manterão o comando de suas frações, com a finalidade precípua de harmonizar e transmitir ordens pertinentes à consecução dos objetivos comuns.

Art. 8º Respeitadas a autonomia e as peculiaridades de cada um dos órgãos com atuação no Município, poderão os responsáveis trocar informações sobre os campos de atuação de seus comandos e chefias.

Art. 9º As Guardas Municipais terão regimentos próprios, que regularão seu funcionamento.

Art. 10. Serão garantidas às Prefeituras dos Municípios que tenham ou venham a criar Guarda Municipal, pelo Poder Executivo federal, linha telefônica de urgência de 3 (três) (153) dígitos e faixas exclusivas de frequência de rádio, para uso exclusivo da Guarda Municipal.

§1ª A Prefeitura que optar em criar Guarda Municipal, gozara de isenção de IPI e ICM nas aquisições referentes à operação da corporação.

§2º As Viaturas das Guardas estão isentas da cobrança de pedágio nas estradas, rodovias e hidrovias e similares em todo território nacional.

Art. 11 o inciso XI do artigo 295 do decreto lei 3689 de 3 de outubro de 1941 passa a vigorar com a seguinte redação

Art 295

XI os delegados de polícia civil e federal, membros das polícias civis, os membros das polícias rodoviária e ferrovia federal e os membros das guardas municipais.

Art 12.. Os guardas municipais estão autorizados ao porte legal de arma de defesa pessoal, cujo alvará será isento de taxa de fiscalização.

§1º A autorização para porte legal de arma prevista no caput é por tempo indeterminado, enquanto o guarda municipal se encontrar no serviço ativo da corporação a que pertença e não sofra restrição de uso de arma de fogo, por motivo de saúde, de sentença judicial ou de decisão fundamentada fática e juridicamente pelo Comando da respectiva Guarda Municipal, respeitados os critérios e as normas técnicas de treinamento estabelecido pela Lei n.10.826 de 22 de dezembro de 2003.


§2ª altera o inciso III do artigo 6º da lei 10826 de que passa a vigorar com a seguinte redação

Art 6º...

III os integrantes das guardas municipais.

§ 3º Extingue o inciso IV do artigo 6º da lei 10826 de 22 de dezembro de 2003.

§ 4º Os agentes das Guardas Municipais tem direito a aquisição na indústria de uma Arma de Fogo de calibre, funcionamento e capacidade de tiros permitida pelo Comando do Exército.

Art. 13. Os órgãos de segurança pública federais e estaduais, mediante solicitação dos Comandos das Guardas Municipais e em coordenação com as Prefeituras Municipais, poderão desenvolver ciclos de debates e programas e treinamento, visando ao aprimoramento operacional das Guardas Municipais.

Art 14 Aos guardas municipais será, obrigatoriamente, exigida a aprovação em concurso público, com escolaridade não inferior ao nível médio e em ulterior curso de formação com carga horária mínima de 600 (seiscentas horas), obedecendo a matriz curricular emanada do Ministério da Justiça.


§ 1º Os Municípios poderão firmar convênios ou consorciar-se, visando ao atendimento do disposto no caput deste artigo.

§ 2º Os cursos poderão ser ministrados por entidades privadas, desde que estas estejam credenciadas junto ao Conselho Federal de Guardas Municipais e o Ministério da Justiça.

Art. 15 O Exército através de Portaria, regulamentará a compra das armas e munições das Guardas Municipais de acordo com a legislação vigente,

Capítulo II - DOS ÓRGÃOS DE REPRESENTAÇÃO PROFISSIONAL


Art. 16. Nos termos desta Lei, fica autorizada a criação do Conselho Federal de Guardas Municipais e dos Conselhos Regionais de Guardas Municipais.

Parágrafo único. É vedado, aos Conselhos Federal e Regionais das

Guardas Municipais, desenvolverem quaisquer atividades não compreendidas em suas finalidades previstas nesta Lei, inclusive as de caráter sindical, político e partidárias.

Art. 17. É obrigatório o credenciamento dos guardas municipais e o registro das Guardas Municipais nos Conselhos Regionais.

Parágrafo único. Os guardas municipais e as Guardas Municipais que, na data da publicação desta Lei, estiverem no exercício da atividade, deverão tomar a providência prevista no caput deste artigo no prazo de 90 dias a contar da data em que os Conselhos Regionais forem instalados.

Art. 18. O candidato a credencial como guarda municipal deverá apresentar:

a) prova de identidade;

b) prova de quitação com o serviço militar, quando a ele obrigado;

c) prova de estar em dia com as exigências da legislação eleitoral;

d) certidão negativa expedida pelos cartórios criminais das comarcas em que o candidato a registro tiver sido domiciliado nos últimos dez (10) anos;e

e) certificado de aprovação no curso de formação do art. 13.


Parágrafo único. O estrangeiro é desobrigado da apresentação dos documentos constantes das alíneas b e c deste artigo.


Art. 19 O Conselho Federal de Guardas Municipais e os Conselhos Regionais de Guardas Municipais, serviços públicos dotados de organização federativa, têm por finalidade promover, com exclusividade, a defesa, o registro, a fiscalização e a disciplina das Guardas Municipais, na forma desta Lei.

Art. 20. O Conselho Federal de Guardas Municipais e os Conselhos Regionais de Guardas Municipais gozam de isenção tributária total em relação aos seus bens, serviços e rendas.

Art. 21. Compete ao Conselho Federal de Guardas Municipais e aos Conselhos Regionais de Guardas Municipais cobrar dos profissionais inscritos contribuições, preços de serviços e multas, na forma desta Lei, constituindo título executivo extrajudicial as certidões por eles emitidas relativamente a esses créditos.

Art. 22. O Conselho Federal de Guardas Municipais e os Conselhos Regionais de Guardas Municipais, dotados de personalidade jurídica própria, o primeiro, com sede na Capital Federal, e os demais, nas capitais dos Estados, são compostos de Presidente e de conselheiros.

§ 1º O Presidente do Conselho Federal de Guardas Municipais, os Presidentes dos Conselhos Regionais de Guardas Municipais e os titulares dos demais cargos definidos pelos respectivos Regimentos, serão eleitos entre os conselheiros que têm assento nos respectivos Conselhos.

§ 2º Cada Estado da Federação será representado no Conselho Federal de Guardas Municipais por um conselheiro federal, eleito entre os conselheiros regionais.

§ 3º Cada Município que tiver implantada sua Guarda Municipal será representado no Conselho Regional de Guardas Municipais por um conselheiro regional, eleito entre seus pares.

§ 4º Todas as eleições serão realizadas trienalmente, no segundo semestre do ano anterior ao início do exercício do cargo, por maioria de votos, em votação secreta.

§ 5º O comparecimento à eleição de que trata o parágrafo anterior tem caráter obrigatório para todos os guardas municipais.

§ 6º Os candidatos e os eleitores deverão comprovar situação regular junto aos Conselhos Regionais de Guardas Municipais.

Art. 23. O Conselho Federal de Guardas Municipais e os Conselhos Regionais de Guardas Municipais têm suas estruturas, funcionamento, competências dos seus membros e quórum necessário para a deliberação e aprovação das diferentes matérias definidos, respectivamente, pelo seu Regimento Geral e pelos correspondentes Regimentos Internos.

Art. 24. Compete ao Conselho Federal de Guardas Municipais e aos Conselhos Regionais de Guardas Municipais:
I – zelar pela dignidade, prerrogativas e valorização dos guardas municipais;

II – atuar como órgãos consultivos, indicativos e de acompanhamento, junto ao Comando das Guardas Municipais, em consonância com as políticas municipais de segurança;

III – representar, em juízo ou fora dele, os interesses coletivos ou individuais dos guardas municipais;

IV – deliberar sobre o ajuizamento de ação direta de inconstitucionalidade, mandado de segurança coletivo, ação civil pública e demais ações na defesa dos interesses dos guardas municipais;

V – autorizar a oneração ou a alienação de bens imóveis de sua propriedade;

VI – deliberar sobre assuntos administrativos e financeiros, elaborando programas de trabalho e orçamento;

VII – manter relatórios públicos de suas atividades; e

VIII – deliberar sobre assuntos administrativos e financeiros, elaborando programas de trabalho e orçamento.

Art. 25. Compete também ao Conselho Federal de Guardas Municipais:

I – realizar o acompanhamento e a fiscalização dos Conselhos Regionais das Guardas Municipais;

II – estabelecer diretrizes, padrões, normas e procedimentos pertinentes ao ingresso, à carreira, à formação básica e ao emprego operacional das Guardas Municipais, respeitadas a autonomia e as peculiaridades de cada Município;

III – editar e alterar o Regimento Geral, o Código de Ética, as Normas Eleitorais e os Provimentos que julgar necessários;

IV – adotar medidas para assegurar o funcionamento regular dos Conselhos Regionais de Guardas Municipais;

V – intervir nos Conselhos Regionais de Guardas Municipais quando constatada violação desta Lei ou do Regimento Geral;

VI – homologar as prestações de contas dos Conselhos Regionais de Guardas Municipais;

VII – julgar, em grau de recurso, as questões decididas pelos Conselhos Regionais de Guardas Municipais;

VIII – contratar empresa de auditoria, a cada 3 (três) anos, sempre ao final do período de mandato, para auditar o próprio Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Guardas Municipais;

IX – representar os guardas municipais em órgãos públicos federais e em órgãos não-governamentais no âmbito nacional; e

X – propor ações cíveis e penais contra aqueles que exercerem irregularmente atividades privativas dos guardas municipais ou causarem dano à imagem ou à reputação dessa profissão.

Art. 26. Compete também aos Conselhos Regionais de Guardas Municipais:

I – elaborar e alterar os respectivos Regimentos Internos e demais atos administrativos;

II – cumprir e fazer cumprir o disposto nesta Lei, no Regimento Geral do Conselho Federal de Guardas Municipais, no Código de Ética, no seu Regimento Interno e nos demais atos normativos que editar;

III – realizar o credenciamento e expedir as carteiras de identificação profissional dos guardas municipais, fazendo constar destas, além identificação da corporação, o nome, a qualificação, graduação do guarda municipal e a autorização para o porte de arma;

IV – cobrar as contribuições, taxas de serviços e multas;

V – fazer e manter atualizados os credenciamentos dos guardas municipais;

VI – fiscalizar o exercício das atividades dos guardas municipais;

VII – julgar os processos disciplinares, na forma que determinar o Regimento Geral do Conselho Federal de Guardas Municipais;

VIII – sugerir ao Conselho Federal de Guardas Municipais medidas destinadas a aperfeiçoar a aplicação desta Lei e a promover o cumprimento de suasfinalidades e a observância aos princípios estabelecidos; e

IX – representar os guardas municipais em órgãos públicos estaduais e municipais e em órgãos não-governamentais de sua jurisdição.

§ 1º A carteira de identificação profissional do guarda municipal possui fé pública e constitui prova de identidade civil para todos os fins legais em todo o território nacional.

§ 2º A validade do credenciamento de que trata o inciso III deste artigo se estenderá pelo tempo em que o credenciado pertencer ao efetivo de sua corporação, sendo mantido se o credenciado se aposentar como guarda municipal.

Art. 27. São receitas do Conselho Federal de Guardas Municipais e dos Conselhos Regionais de Guardas Municipais:

I – contribuições e taxas de serviços arrecadadas diretamente;

II – doações, legados, juros e receitas patrimoniais;

III – subvenções e resultados de convênios.

Parágrafo único. Nas receitas do Conselho Federal de Guardas Municipais acrescentar-se-ão 20% (vinte por cento) da receita bruta de cada Conselho Regional de Guardas Municipais.

Art. 28. Os Municípios instituirão normas suplementares a estas normas gerais.

Art. 29. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Sala da Comissão, em de de 2012.

Fonte: http://movimentonacionalregulamentacaodasgms.blogspot.com/2012/01/relatorio-final-do-movimento-nacional.html

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

GUARDA MUNICIPAL DE INDAIATUBA PRENDEU EM FLAGRANTE QUADRILHA QUE ROUBAVA CARTEIROS.


Na tarde de terça-feira (17), a Guarda Municipal de Indaiatuba recebeu informações sobre o assalto a um carteiro. Detalhes davam conta de que os suspeitos agiam em um Palio, prata. Os guardas fizeram patrulhamento e localizaram o automóvel, placas de São Paulo ano 2008, modelo 2009, no Jardim Lauro Bueno. Ao ver as viaturas da Romi (Rondas Ostensivas com Motocicletas de Indaiatuba) se aproximarem os indivíduos iniciaram fuga.
Após acompanhamento e com apoio de outras seis viaturas, os GMs conseguiram fazer a abordagem, na avenida Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, Jardim Morada do Sol, próximo ao Centro de Formação de Condutores. No porta-malas foram encontrados mais de 45 caixas e envelopes com lacre dos Correios. Quatro homens estavam dentro do automóvel e assumiram o roubo a sete carteiros realizados na mesma terça.
Eles ainda disseram que estavam hospedados em um hotel da cidade. Os guardas seguiram ao local e descobriram que os rapazes tinham alugado três quartos e em um deles estavam duas moças. A menor de idade era da cidade de São Vicente e a maior de idade, de Praia Grande. As reservas seguiam até esta quarta-feira (18) e nos apartamentos acabaram encontrados R$ 720,00.
Todos foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Federal de Campinas, por terem sido roubados produtos sob guarda de órgão do Governo Federal. As mulheres ficaram no aguardo de parentes que vinham de São Vicente para buscá-las. As sete vítimas também seguiram à DP e reconheceram os autores.
Foram apreendidos mais de 45 objetos, o Palio, o dinheiro e os quatro homens suspeitos receberam voz de prisão em flagrante. Eles foram presos e encaminhados para o 2º Distrito Policial de Campinas.
Dos presos, A.L.C., 22; L.R.S., 23 e F.D.F., 26 são moradores da cidade de Santos. R.L.S., 18 é de Indaiatuba. Curiosamente, A.L.C. residia na rua Indaiatuba, no Parque São Vicente, em Santos. Entre os produtos recuperados estão encomendas fechadas da Netshoes, pares de tênis, notebooks, cartões de banco, relógios, aparelhos celulares, vários cartões telefônicos e um total de R$ 802,25.

PARABÉNS AOS IRMÃOS DA GM INDAIATUBA. MOSTRANDO À QUE VIERAM!!!

POLÍCIA OFERECE RECOMPENSA DE R$ 50.000,00 PARA QUEM DER INFORMAÇÕES QUE LEVEM AO PARADEIRO DE MIZAEL BISPO DE SOUZA.



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

HOMENAGEM A TODOS OS GUERREIROS QUE PROTEGEM NOSSO PAÍS!!!




ESTA É UMA HOMENAGEM AOS IRMÃOS GUARDAS MUNICIPAIS, POLICIAIS MILITARES, POLICIAIS CIVIS, POLICIAIS FEDERAIS, BOMBEIROS,FORÇAS ARMADAS,ETC. GUERREIROS QUE VESTEM SUAS FARDAS TODOS OS DIAS E DEIXAM SUAS RESIDÊNCIAS E FAMÍLIAS PARA SERVIR E PROTEGER OUTRAS FAMÍLIAS! NA INCERTEZA DE QUE RETORNARAM EM SEGURANÇA, POIS O MAL PODE ESTAR NA PRÓXIMA ESQUINA?! E QUANDO RETORNAM A SATISFAÇÃO DE TER CUMPRIDO COM SER DEVER.

PARABÉNS AO IRMÃO QUE PRODUZIU ESTE VIDEO MUITO MOTIVADOR E EMOCIONANTE.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

PREFEITURA CHAMA NOVOS APROVADOS NO CONCURSO PÚBLICO.


Desta vez são os aprovados na Guarda Municipal.
A Secretária de Administração, Sandra Aparecida, no uso das atribuições delegadas pelo decreto n° 12.555, de 8 de dezembro de 2011, e de acordo com o artigo 11 da Lei Municipal n° 1.207/1994, e o Processo Administrativo n° 9110, CONVOCA candidatos para os cargos de GUARDA MUNICIPAL , devendo comparecer na Chefia de Gabinete da Prefeitura para retirar o Edital de Convocação, tendo prazo de 10 (dez) dias para apresentar documentação junto ao Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal.  Seguidamente serão convocados os próximos cargos.

Confira a lista de aprovados!
GUARDA MUNICIPAL
MARCOS ANTÔNIO OLIVEIRA CAMPOS
JOSE SILVIO MENDES DE ALMEIDA JUNIOR
WILIAM DA SILVA RIBEIRO
JOÃO CARLOS VIANA DE JESUS
DOUGLAS ALVES DE MELO
JOSÉ GERLANDIO DE PAIVA SILVA
WASHINGTON SOARES CAMPOS
RAPHAEL LOPES LEITE
FRANCISCO DAS CHAGAS DE BRITO PAULA GONÇALO
SAMUEL RODRIGUES DA ROCHA

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Guarda Municipal de Cristalina tira mais um vagabundo de circulação.


Guarda Municipal de Cristalina prende mais um vagabundo na feira municipal Abel Caixeta.
No último domingo dia 15 de janeiro, a guarnição composta pelo GM Pereira e GM Braúna faziam sua ronda de rotina pela feira municipal acompanhados pelo CMT. da GMC Luis Marques, quando foram acionados por populares que relataram que havia um indivíduo praticando furtos pelo interior da feira, e que já havia feito várias vítimas. Imediatamente Os gms foram em busca do meliante que foi rapidamente encontrado, após a abordagem e revista do mesmo, apareceu a primeira vítima que reconheceu o indivíduo como sendo autor do furto do valor de R$ 80,00 sofrido pela mesma a poucos instantes, o indivíduo recebeu voz de prisão. Ao proceder com o algemamento do autor o mesmo reagiu e foi preciso uso da força estritamente necessária e legal para algema-lo. O mesmo foi encaminhado juntamente com a vítima e testemunha, ao SIOPS, onde foi lavrado o flagrante pelo delegado Dr.Vitor Magalhães, que o enquadrou por furto, sendo que o mesmo já tinha passagens por outros crimes. Posteriormente o meliante foi encaminhado à cadeia pública.
Parabéns a Guarda Municipal, mais uma vez mostrando seu valor.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

GUARDA MUNICIPAL PRESENTE NA FEIRA MUNICIPAL ABEL CAIXETA.


Recentemente foi postado aqui em nosso site no quadro de mensagens, um mensagem de FEIRANTES da FEIRA MUNICIPAL ABEL CAIXETA, segundo está na mensagem os feirantes se dizem indignados por não ter a presença da Guarda Municipal na Feira, e que os mesmos tem enfrentado muitos problemas com a falta de segurança.
Como administrador deste site e como Guarda Municipal, posto esta para responder a indagações feitas pela população, sabemos que temos limitações no entanto procuramos atender a população da melhor maneira possível. Infelizmente o efetivo da Guarda Municipal é pequeno, somos 16 guardas municipais na escala de serviço ostensivo, 4 Guardas Municipais trabalhando diariamente nas rondas ostensivas atendendo a diversos tipos de ocorrências, através de denúncias, por iniciativa dos GMS e etc; são mais de 60 locais públicos, sem contar ruas praças e logradouros da cidade por onde a GM tem o dever de patrulhar e ainda aquele atendimento de obrigação social, onde muitas vezes nos deparamos com alguma pessoa enferma necessitando de um socorro até o hospital,  infelizmente pode acontecer de estarmos em patrulhamento em um determinado ponto da cidade e acontecer algo do outro lado da cidade. Por isso quero deixar registrado aqui nesta postagem -" A GUARDA MUNICIPAL VEM FAZENDO SEUS TRABALHOS SIM!!!SEMPRE QUE SOMOS SOLICITADOS FAZEMOS O POSSÍVEL E MUITAS VEZES ATÉ O IMPOSSÍVEL PARA AJUDAR A QUEM NOS SOLICITA. DENTRO DE NOSSO DEVER LEGAL"
Esperamos para o início deste ano a convocação dos aprovados no concurso municipal às vagas de Guarda Municipal, com certeza vai ajudar muito a melhorar nosso atendimento à população, a população tem mesmo que denunciar, reclamar, mas também tem o dever de colaborar, não seja omisso se testemunhar algum ato de vandalismo ou qualquer ato criminoso em Cristalina NOSSA CIDADE!!! denuncie imediatamente, faça sua parte que a GMC vai fazer o que lhe compete, não pensem que as autoridades PM, GM, CIVIL e etc, são adivinhas para saber que no momento em que patrulham a Feira Municipal, a praça da Vila São João está sendo depredada se você vê e não denuncia você colabora com este tipo de ação criminosa.
A Guarda Municipal faz rondas diárias pela feira municipal abordando e coibindo a permanência e o uso de drogas dentro e fora da Feira Municipal, estamos fazendo nosso trabalho e vamos continuar a faze-lo, no entanto pedimos a todos os cidadãos que colaborem com GM, DENUNCIEM.

TELEFONE DE CONTATO DA SEDE DA GMC: (61)3612-1024 E-MAIL gcmcristalina-go@hotmail.com



terça-feira, 3 de janeiro de 2012

GUARDA MUNICIPAL INTENSIFICA RONDAS NO PERÍODO DE COMPRAS NATALINAS.



OPERAÇÃO NATAL FELIZ
Foi realizado nos dias 21,22,23 e 24 de dezembro pela Guarda Municipal de Cristalina-GO, a operação denominada Natal Feliz; Esta operação teve como objetivo garantir a segurança a centenas ou milhares de pessoas que circularam pelo centro da cidade, Rodoviária, Feira Municipal, praças e pontos turísticos de Cristalina. Devido ao período Natalino e Revelion muitas pessoas aproveitam para fazer compras, e é nesse período que ocorre um aumento no fluxo de pessoas pela cidade.  No entanto também se observa um aumento nas ocorrências de furto, roubo e as famosas saidinhas de banco ou contos do vigário, para coibir esse tipo de ocorrência a Guarda Municipal teve seu efetivo aumentado e foram disponibilizados três viaturas apenas para rondas ostensivas nesses locais, onde os GMS também realizaram rondas a pé, procedendo com abordagens a indivíduos em atitude suspeita e usuários de drogas, também orientando os cidadãos de como se comportar em meio a aglomerações de pessoas para evitar possíveis transtornos. O balanço da Operação Natal Feliz após o final do período de compras foi bastante positivo levando em conta que não foram registradas ocorrências de maior gravidade. No período foram apreendidas pela GM armas brancas como: facas, canivetes, punhal, pequenas quantidades de intorpecentes como crack e maconha e cachimbos utilizados para usar a droga, ninguém foi detido pela GM.