quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A GUARDA MUNICIPAL RECEBE DOAÇÃO DE GIROFLEX



No último dia 17 de Setembro o Comandante da Guarda Municipal de Cristalina deslocou-se com as 3 Viaturas ao CAL (Comando de Apoio Logístico), de Goiânia-Go, onde esta Guarda foi agraciada com a doação de 3 aparelhos Sinalizadores Acústico Visuais (giroflex) com o valor aproximado de R$ 4.500,00 cada um.
O Comandante da Guarda de Cristalina juntamente com os integrantes agradece com imensa satisfação e alegria ao Comando do CAL e todos os integrantes do mesmo que nos possibilitaram a receber este equipamento que será de grande valia para a nossa Guarda. O Comandante da Guarda Municipal faz seus agradecimentos especiais ao CAL em nome dos senhores:
Coronel Comandante Carlos César Macário,
Coronel Comandante Wellington Rodrigues,
Major Ari Barreto Carneiro
Subtenente Marcos Aurélio da Silva.

Editada por Fabíola Gomes de Brito – GM De Brito.
E - mail: fabiola_britto@hotmail.com

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

TRABALHO EM PARCERIA.


A GUARDA MUNICIPAL E POLÍCIA MILITAR DE CRISTALINA realizaram juntas no último dia 08 de setembro terça-feira sua terceira blitz no trânsito, o trabalho em parceria tem o objetivo de coibir principalmente as infrações cometidas por motociclistas, devido ao grande n° de acidentes e infrações que estão acontecendo todos os dias em cristalina por imprudência dos mesmos é claro que não se pode generalizar pois nem todos os motociclistas são imprudentes, neste caso aquele motorista ou motociclista que conduz seu veículo dentro da lei, não tem com o que se preocupar, este é um trabalho firmado entre o Comando da GM e o Comando da PM e tem tudo para dar bons frutos.
Até agora o resultado das operações nos mostra o quanto "nossos" motociclistas precisam melhorar, em três operações realizadas pela GM e PM foram efetuadas mais de 10 apreenções de veículos, mais de 25 notificações e mais de 15 apreenções de CNH. Entre as infrações mais cometidas destacamos o desrespeito ao uso de equipamento de segurança como por exemplo pilotar com a viseira do capacete levantada, pilotar sem viseira no capacete,capacete sem o selo do INMETRO veículo com características adulteradas como escapamento aberto, sem rabeta( para-lamas) ou sem retrovisor .
VEJA O QUE "DIZ" O CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO RESPEITO DOS MOTOCICLISTAS INFRATORES.
Art. 244. Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor:
I - sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção e vestuário de acordo com as normas e especificações aprovadas pelo CONTRAN;
II - transportando passageiro sem o capacete de segurança, na forma estabelecida no inciso anterior, ou fora do assento suplementar colocado atrás do condutor ou em carro lateral;
III - fazendo malabarismo ou equilibrando-se apenas em uma roda;
IV - com os faróis apagados;
V - transportando criança menor de sete anos ou que não tenha, nas circunstâncias, condições de cuidar de sua própria segurança:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa - Recolhimento do documento de habilitação;
VI - rebocando outro veículo;
VII - sem segurar o guidom com ambas as mãos, salvo eventualmente para indicação de manobras;
VIII - transportando carga incompatível com suas especificações: Infração - média; Penalidade - multa.
VIII – transportando carga incompatível com suas especificações ou em desacordo com o previsto no § 2o do art. 139-A desta Lei;
(Redação dada pela Lei nº 12.2009, de 2009)
IX – efetuando transporte remunerado de mercadorias em desacordo com o previsto no art. 139-A desta Lei ou com as normas que regem a atividade profissional dos mototaxistas: (Incluído pela Lei nº 12.2009, de 2009)
Infração – grave; (Incluído pela Lei nº 12.2009, de 2009)
Penalidade – multa; (Incluído pela Lei nº 12.2009, de 2009)
Medida administrativa – apreensão do veículo para regularização. (Incluído pela Lei nº 12.2009, de 2009)
§ 1º Para ciclos aplica-se o disposto nos incisos III, VII e VIII, além de:
a) conduzir passageiro fora da garupa ou do assento especial a ele destinado;
b) transitar em vias de trânsito rápido ou rodovias, salvo onde houver acostamento ou faixas de rolamento próprias;
c) transportar crianças que não tenham, nas circunstâncias, condições de cuidar de sua própria segurança.
§ 2º Aplica-se aos ciclomotores o disposto na alínea b do parágrafo anterior:
Infração - média;
§ 3o A restrição imposta pelo inciso VI do caput deste artigo não se aplica às motocicletas e motonetas que tracionem semi-reboques especialmente projetados para esse fim e devidamente homologados pelo órgão competente.
(Incluído pela Lei nº 10.517, de 2002)
Penalidade - multa.
Art. 245. Utilizar a via para depósito de mercadorias, materiais ou equipamentos, sem autorização do órgão ou entidade de trânsito com circunscrição sobre a via:
Infração - grave;
Penalidade - multa;
Medida administrativa - remoção da mercadoria ou do material.
Parágrafo único. A penalidade e a medida administrativa incidirão sobre a pessoa física ou jurídica responsável.
Art. 173. Disputar corrida por espírito de emulação:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa (três vezes), suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo;
Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.
Art. 174. Promover, na via, competição esportiva, eventos organizados, exibição e demonstração de perícia em manobra de veículo, ou deles participar, como condutor, sem permissão da autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa (cinco vezes), suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo;
Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.
Parágrafo único. As penalidades são aplicáveis aos promotores e aos condutores participantes.
Art. 175. Utilizar-se de veículo para, em via pública, demonstrar ou exibir manobra perigosa, arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa, suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo;
Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.
Art. 210. Transpor, sem autorização, bloqueio viário policial:
Infração - gravíssima;
Penalidade - multa, apreensão do veículo e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa - remoção do veículo e recolhimento do documento de habilitação.
SEJA UM MOTOCICLISTA CONSCIENTE ANDE COM SEGURANÇA.
A POPULAÇÃO CRISTALINENSE AGRADECE, POIS SEGURANÇA SE FAZ COM A COLABORAÇÃO DE TODOS
Na foto da esquerda para a direita: GM Coleto, GM Hélio, Insp. Shussler, 1ºSgt Erviluiz, Sd. Anízio,GM Padilha,GM Rafael.

AGORA É HORA DE POR EM PRÁTICA O QUE APRENDEMOS...

A Semana de Conscientização no Trânsito, realizada nos dias 24, 25, 26, 27, 28 de Agosto contou com a colaboração de várias entidades entre elas Guarda Municipal, Polícia Militar,Corpo de Bombeiros, Polícia do Exército e Polícia Rodoviária Federal, Escolas Municipais e Estaduais e a população em geral. O evento foi realizado no Centec ,no decorrer da semana foram apresentadas palestras com exibição de videos educativos, aulas de educação no trânsito, e demonstração de resgate de acidentados pelos representantes do Corpo de Bombeiros. O Evento contou ainda com a exposição de trabalhos feitos por alunos da rede Estadual, Municipal e Parrticular de ensino, trabalhos que visam a conscientição no Trânsito na visão dos estudantes.
Esperamos ter alcançado o objetivo do evento, pois, um trânsito seguro só será possível com a colaboração de todos.
Agradecimentos:
-GUARDA MUNICIPAL
-POLÍCIA MILITAR
-POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL
-CORPO DE BOMBEIROS
-POLÍCIA DO EXÉRCITO
-ESCOLAS ESTADUAIS, MUNICIPAIS E PARTICULARES
-POPULAÇÃO EM GERAL
-AO PRESIDENTE E INTEGRANTES DO CONSEG

ANDE COM SEGURANÇA. PROTEJA A VIDA!!!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

RESULTADO POSITIVO PARA AS GUARDAS MUNICIPAIS NO 1º CONSEG NACIONAL.


DIRETRIZ QUE DIZ RESPEITO AS GUARDAS MUNICIPAIS.

8. 2.18 B - Regulamentar as GUARDAS MUNICIPAIS como polícias municipais : definir suas atribuições constitucionais; regulamentar a categoria; garantir direitos estatutários, dentre eles jornada de trabalho, plano de carreira, aposentadoria,assistência física e mental, regime prisional diferenciado, programas habitacionais, seguro de vida, critérios do exame psicotécnico a cada quatro anos, concurso público, com exigência mínima de nível médio completo. ( 697 votos)


30/08/2009 - Conferência aprova base da política nacional de segurança pública





30/08/2009 - 20:35hConferência aprova base da política nacional de segurança pública
Brasília, 30/08/09 (MJ) – O Brasil já tem um norte para construir uma política nacional de segurança pública. Foi anunciado na noite deste domingo (30), em Brasília, o resultado da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública (Conseg): um conjunto de 10 princípios e 40 diretrizes que servirão de base para a definição de políticas públicas na área. “A partir de hoje começa a nascer um novo modelo de polícia no Brasil”, afirmou Benedito Mariano, representante dos gestores na 1ª Conseg.
O princípio mais votado, com 793 votos, determina que a política nacional proporcione autonomia às instituições do segmento, transparência na divulgação dos dados e a consolidação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e do Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci), criado pelo Ministério de Justiça em 2007, com foco na prevenção e na defesa dos direitos humanos.
A cada princípio anunciado, aumentava a vibração das 3 mil pessoas que lotaram o auditório do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Ao final, todos aplaudiram de pé o desfecho desse processo inédito no país: a discussão de uma política nacional de segurança com a participação da sociedade civil e dos trabalhadores da área.
Morador da Rocinha, uma das maiores favelas do Rio de Janeiro, William de Oliveira, 37 anos, aguardava com expectativa a divulgação do resultado. O nono princípio mais votado, que confere autonomia aos conselhos de segurança, foi o mais comemorado pelo carioca. “Fiquei feliz por esse princípio ter passado, porque a gente sabe da importância dos conselhos. Eles funcionam, mas hoje não deliberam, não tem muita força”, disse. “Espero que, muito em breve, essas idéias saiam do papel”.
Entre as 40 diretrizes aprovadas, a mais votada foi a que defende a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 308, de 2004, que transforma os agentes penitenciários em policiais penais. A diretriz, que teve 1.095 votos, foi bastante comemorada pela categoria.
Nove meses de participação
Os 2.097 participantes com direito a voz e voto na etapa nacional da Conferência foram divididos em 40 grupos de trabalho. Desde quinta-feira (27), quando foi aberto o evento, eles discutiram o conteúdo do Caderno de Propostas – documento que reuniu 26 princípios e 364 diretrizes considerados prioritários nas etapas preparatórias realizadas em todo o país, desde o início do ano.
O processo durou nove meses, desde a convocação da Conferência por decreto presidencial, em dezembro do ano passado. Nesse período, foram realizadas 1.140 conferências livres em 514 cidades, 266 conferências municipais e 27 estaduais. A discussão envolveu mais de meio milhão de brasileiros. “É uma vitória para o Brasil. Um marco histórico que vai transformar as propostas de toda a sociedade em uma política de Estado e não mais de governo”, afirmou a coordenadora geral da 1ª Conseg, Regina Miki.
Benedito Mariano, representante dos gestores, destacou a importância histórica desse momento. “O setor que mais representou o arbítrio no país foi a segurança pública”, disse, citando os períodos de ditaduras. Para ele, a Conferência quebrou tabus ao demonstrar que a sociedade civil está preparada para propor soluções nesta área. “A segurança é questão de polícia, mas também de prevenção. É a defesa intransigente dos direitos humanos”.